domingo, setembro 27, 2020

TARAUACÁ: ESCOLA DE ENSINO MÉDIO DJALMA BATISTA, REDUZ ÍNDICES DE EVASÃO ESCOLAR

Deixar de frequentar a escola não será tarefa fácil para os alunos da Escola de Ensino Médio Doutor Djalma da Cunha Batista do Município de Tarauacá.
Para combater o razoável índice de alunos faltosos (evasão escolar) nesse ano letivo de 2017, o gestor Professor José Ivonaldo Benigno, juntamente com os demais membros de sua equipe de gestão, decidiu dar continuidade ao projeto ‘A Caminho Da Escola’.
De acordo com o gestor, em levantamento realizado em anos anteriores a escola chegou a contabilizar uma média de 40% de evasão. Com a implantação do projeto há cerca de 3 anos, esses índices diminuíram a cada ano, chegando a 12% em 2016 e a meta esse ano de 2017 é baixar para 1 dígito.
Alunos que deixam de vir à escola pelo menos três vezes por semana e acabam perdendo conteúdos importantes que prejudicavam o rendimento escolar e os demais que não apareceram na escola, estão sendo contactados pela escola e seus familiares recebem, se for necessário a visita de um gestor.
O gestor, junto aos professores, fez o levantamento de que alunos estão deixando de frequentar as aulas, em seguida faz o contado telefônico com o estudante ou seus pais e por último faz uma visita pra conversar pessoalmente com o aluno e seus familiares para saber os motivos das ausências.
Nas visitas os gestores conversam com os pais para explicar a importância de manter o filho frequentando a escola assiduamente, leva uma ficha para que o pai assine confirmando que recebeu a visita e se responsabilizando por manter o filho estudando. Os pais ou responsáveis são informados também que poderão ser responsabilizados juntos aos órgão de proteção à criança e adolescentes especialmente ao Conselho Tutelar e ao Ministério Público.
Conheça o Projeto
I- JUSTIFICATIVA
A evasão escolar é um problema complexo e se relacionam com outros importantes temas pedagógicos, como infrequência, baixo rendimento e reprovação escolar. Além disso, é importante realizar campanha de esclarecimento, mostrando que o estudo formal é um direito da criança e do adolescente e que, o responsável pode inclusive responder “processos por abandono intelectual” quando seus filhos evadem dos bancos escolares.
O projeto tem por finalidade, combater a evasão escolar e as faltas injustificadas, além disso, promover o acesso e garantir a permanência dos alunos na escola, fazendo uso de mecanismo para acompanhar a assiduidade dos alunos; envolvendo educadores, famílias e alunos, esclarecendo a todos sobre a importância da educação formal. Sabemos que a evasão escolar e a reiteração de faltas injustificadas, apresentam-se como um grande desafio àqueles que estão envolvidos no contexto escolar. É uma questão relevante, a ponto do Estatuto da Criança e do Adolescente estabelecer a necessidade de tal problema ser compartilhado com a família, Conselho Tutelar, Ministério Público e demais órgãos que prestam atendimento a infância e juventude, para evitar a sua ocorrência, deixando de ser um problema exclusivo e interno da instituição de ensino.
Quando tais situações se verificam constatam-se que o direito à educação não está sendo devidamente respeitado justificando a necessidade de intervenção dos órgãos responsáveis, conforme apontados na Constituição e no Estatuto da Criança e do Adolescente.
Portanto, a necessidade de criar alternativas e meio para superar esses obstáculos ao direito constitucional dos adolescentes à educação plena, pública, gratuita, com qualidade social, leva-nos a instituir o Projeto;
II- OBJETIVO GERAL:
Combater à evasão escolar é promover o acesso e garantir a permanência dos alunos na escola.
III- Objetivos Específicos:
· Diminuir a evasão escolar na escola de ensino médio Dr. Djalma da C. Batista;
· Manter os alunos, inseridos no contexto escolar;
· Acompanhar a assiduidade dos alunos;
· Apresentar para alunos e familiares dos alunos faltosos a importância da educação formal, e assim fazer da relação aluno-escola uma relação de amizade e não de obrigação;
· Criar nas famílias o senso de responsabilidade em relação à educação dos alunos;
· Formar cidadãos críticos e conscientes de suas responsabilidades.
IV- METAS
– Reduzir a taxa de evasão do Ensino Fundamental Geral até 2.017.
V- METODOLOGIA E ESTRATÉGIA DE AÇÃO:
Uma vez analisada a assiduidade dos alunos pelo Grupo de Apoio da escola de combate à evasão escolar, será elabor ada uma seqüência de procedimentos que podem ser adotados pelo gestor, coordenadores e professores no combate a evasão escolar.
VI- AÇÕES:
Motivar todos os educadores ao redor de um objetivo único: “Combater a Evasão Escolar;
Nomear professores padrinhos para turmas;
Identificar alunos faltosos (preencher neste caso a ficha modelo nº 1);
Fazer contato com os pais e/ou responsáveis pelos alunos que estejam com mais de dez faltas,
Visita domiciliar e entrevista os alunos e os pais, fazendo-se o diagnóstico do caso e ministrando-se as orientações necessárias (preencher, neste primeiro contato, a ficha MODELO 1);
Informar aos pais e/ou responsáveis o número máximo de faltas permitidas durante o ano letivo, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;
Alertar os pais e/ou responsáveis quanto às penalidades previstas em Lei pela não permanência de seus filhos na escola (abandono intelectual);
Termo de compromisso assinado pelo pai (ficha modelo 2)
Realizar, registrando-se em ata, até três tentativas de conversação com os pais e/ou responsáveis pelos alunos em vias de evasão escolar. Quando, ainda assim, os pais e/ou responsáveis se recusam a conversar sobre o assunto, ou seja, quando se esgotam os recursos via conversação e negociação entre pais, alunos e supervisão, esta recorre aos Conselhos Tutelares informando a situação ao Conselho Tutelar;
Premiar por turno o “Padrinho” que obter o menor percentual de evasão;
Realizar palestra junto aos órgãos como Conselho Tutelar, Ministério Público e outros sobre a importância da permanência na escola;
VII- Acionamento das equipes
1 – As equipes serão acionadas pelas escolas ou por qualquer cidadão, nas seguintes situações:
– faltas reiteradas;
– evasão consumada;
– casos graves de indisciplina ou desinteresse;
· – criança ou adolescente que nunca tenha sido matriculado no ensino fundamental.
PERFIL DOS PADRINHOS/LÍDERES DE TURMAS:
 Identificar os alunos faltosos e levar ao conhecimento da Equipe de Apoio;
 Realizar visita às famílias de alunos quando necessário (professor e coordenação);
 Preencher uma ficha com telefone e endereço dos alunos da turma;
 Valorizar a auto-estima dos alunos;
 Realizar levantamento dos problemas ocorridos em sala;
 Primar pelo bom comportamento e desempenho de sua turma;
 Identificar causas de baixo rendimento;
Fonte: blog do ensino médio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Popular

Jordão: extração do látex da seringueira melhora renda de moradores da reserva extrativista; venda da borracha injetou sessenta mil na zona rural do município

Durante quase cem anos , final do séc. XIX e até  meados de 80 do séc. XX, a borracha, produto extraído do látex da...

Tarauacá: Grupo Tático prende cinco homens por envolvimento com o tráfico de drogas

Na sexta-feira, 03, a Polícia Militar, por meio do Grupo Tático de Tarauacá, braço da corporação para o enfrentamento do crime organizado, conseguiu prender...

Cel. Ulysses será o vice de Minoru Kinpara e Major coordenadorá a campanha do ex-reitor da Ufac

Pedro Valério continua presidente regional do PSL no Acre e as candidaturas do interior tanto para o legislativo, como para o executivo será coordenada...

Vereadores de Jordão apresentaram mais de 300 proposições legislativas em 2019

Os parlamentares de Jordão, no interior do Acre, concluem 2019 como um dos anos mais produtivos da história política da cidade. Os edis apresentaram...