TARAUACÁ: ESCOLA DE ENSINO MÉDIO DJALMA BATISTA, REDUZ ÍNDICES DE EVASÃO ESCOLAR

Deixar de frequentar a escola não será tarefa fácil para os alunos da Escola de Ensino Médio Doutor Djalma da Cunha Batista do Município de Tarauacá.
Para combater o razoável índice de alunos faltosos (evasão escolar) nesse ano letivo de 2017, o gestor Professor José Ivonaldo Benigno, juntamente com os demais membros de sua equipe de gestão, decidiu dar continuidade ao projeto ‘A Caminho Da Escola’.
De acordo com o gestor, em levantamento realizado em anos anteriores a escola chegou a contabilizar uma média de 40% de evasão. Com a implantação do projeto há cerca de 3 anos, esses índices diminuíram a cada ano, chegando a 12% em 2016 e a meta esse ano de 2017 é baixar para 1 dígito.
Alunos que deixam de vir à escola pelo menos três vezes por semana e acabam perdendo conteúdos importantes que prejudicavam o rendimento escolar e os demais que não apareceram na escola, estão sendo contactados pela escola e seus familiares recebem, se for necessário a visita de um gestor.
O gestor, junto aos professores, fez o levantamento de que alunos estão deixando de frequentar as aulas, em seguida faz o contado telefônico com o estudante ou seus pais e por último faz uma visita pra conversar pessoalmente com o aluno e seus familiares para saber os motivos das ausências.
Nas visitas os gestores conversam com os pais para explicar a importância de manter o filho frequentando a escola assiduamente, leva uma ficha para que o pai assine confirmando que recebeu a visita e se responsabilizando por manter o filho estudando. Os pais ou responsáveis são informados também que poderão ser responsabilizados juntos aos órgão de proteção à criança e adolescentes especialmente ao Conselho Tutelar e ao Ministério Público.
Conheça o Projeto
I- JUSTIFICATIVA
A evasão escolar é um problema complexo e se relacionam com outros importantes temas pedagógicos, como infrequência, baixo rendimento e reprovação escolar. Além disso, é importante realizar campanha de esclarecimento, mostrando que o estudo formal é um direito da criança e do adolescente e que, o responsável pode inclusive responder “processos por abandono intelectual” quando seus filhos evadem dos bancos escolares.
O projeto tem por finalidade, combater a evasão escolar e as faltas injustificadas, além disso, promover o acesso e garantir a permanência dos alunos na escola, fazendo uso de mecanismo para acompanhar a assiduidade dos alunos; envolvendo educadores, famílias e alunos, esclarecendo a todos sobre a importância da educação formal. Sabemos que a evasão escolar e a reiteração de faltas injustificadas, apresentam-se como um grande desafio àqueles que estão envolvidos no contexto escolar. É uma questão relevante, a ponto do Estatuto da Criança e do Adolescente estabelecer a necessidade de tal problema ser compartilhado com a família, Conselho Tutelar, Ministério Público e demais órgãos que prestam atendimento a infância e juventude, para evitar a sua ocorrência, deixando de ser um problema exclusivo e interno da instituição de ensino.
Quando tais situações se verificam constatam-se que o direito à educação não está sendo devidamente respeitado justificando a necessidade de intervenção dos órgãos responsáveis, conforme apontados na Constituição e no Estatuto da Criança e do Adolescente.
Portanto, a necessidade de criar alternativas e meio para superar esses obstáculos ao direito constitucional dos adolescentes à educação plena, pública, gratuita, com qualidade social, leva-nos a instituir o Projeto;
II- OBJETIVO GERAL:
Combater à evasão escolar é promover o acesso e garantir a permanência dos alunos na escola.
III- Objetivos Específicos:
· Diminuir a evasão escolar na escola de ensino médio Dr. Djalma da C. Batista;
· Manter os alunos, inseridos no contexto escolar;
· Acompanhar a assiduidade dos alunos;
· Apresentar para alunos e familiares dos alunos faltosos a importância da educação formal, e assim fazer da relação aluno-escola uma relação de amizade e não de obrigação;
· Criar nas famílias o senso de responsabilidade em relação à educação dos alunos;
· Formar cidadãos críticos e conscientes de suas responsabilidades.
IV- METAS
– Reduzir a taxa de evasão do Ensino Fundamental Geral até 2.017.
V- METODOLOGIA E ESTRATÉGIA DE AÇÃO:
Uma vez analisada a assiduidade dos alunos pelo Grupo de Apoio da escola de combate à evasão escolar, será elabor ada uma seqüência de procedimentos que podem ser adotados pelo gestor, coordenadores e professores no combate a evasão escolar.
VI- AÇÕES:
Motivar todos os educadores ao redor de um objetivo único: “Combater a Evasão Escolar;
Nomear professores padrinhos para turmas;
Identificar alunos faltosos (preencher neste caso a ficha modelo nº 1);
Fazer contato com os pais e/ou responsáveis pelos alunos que estejam com mais de dez faltas,
Visita domiciliar e entrevista os alunos e os pais, fazendo-se o diagnóstico do caso e ministrando-se as orientações necessárias (preencher, neste primeiro contato, a ficha MODELO 1);
Informar aos pais e/ou responsáveis o número máximo de faltas permitidas durante o ano letivo, segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional;
Alertar os pais e/ou responsáveis quanto às penalidades previstas em Lei pela não permanência de seus filhos na escola (abandono intelectual);
Termo de compromisso assinado pelo pai (ficha modelo 2)
Realizar, registrando-se em ata, até três tentativas de conversação com os pais e/ou responsáveis pelos alunos em vias de evasão escolar. Quando, ainda assim, os pais e/ou responsáveis se recusam a conversar sobre o assunto, ou seja, quando se esgotam os recursos via conversação e negociação entre pais, alunos e supervisão, esta recorre aos Conselhos Tutelares informando a situação ao Conselho Tutelar;
Premiar por turno o “Padrinho” que obter o menor percentual de evasão;
Realizar palestra junto aos órgãos como Conselho Tutelar, Ministério Público e outros sobre a importância da permanência na escola;
VII- Acionamento das equipes
1 – As equipes serão acionadas pelas escolas ou por qualquer cidadão, nas seguintes situações:
– faltas reiteradas;
– evasão consumada;
– casos graves de indisciplina ou desinteresse;
· – criança ou adolescente que nunca tenha sido matriculado no ensino fundamental.
PERFIL DOS PADRINHOS/LÍDERES DE TURMAS:
 Identificar os alunos faltosos e levar ao conhecimento da Equipe de Apoio;
 Realizar visita às famílias de alunos quando necessário (professor e coordenação);
 Preencher uma ficha com telefone e endereço dos alunos da turma;
 Valorizar a auto-estima dos alunos;
 Realizar levantamento dos problemas ocorridos em sala;
 Primar pelo bom comportamento e desempenho de sua turma;
 Identificar causas de baixo rendimento;
Fonte: blog do ensino médio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *